domingo, 29 de agosto de 2010

YAKUZA

Yakuza, também conhecidos como gokudo são os membros das tradicionais organizações de crime organizado existentes no Japão. A polícia japonesa os chama de boryokudan (literalmente "grupo de violência"), enquanto os próprio yakuza se chamam de "ninkyo dantai" (organizações cavalheirescas).

Os Yakuza surgiram como associações criminosas e obedeciam a regras rígidas específicas. Com o tempo, passaram a influenciar diversos segmentos da sociedade e política japonesa. Foi no início do século XVII que nasceram, nos grandes centros urbanos de Osaka e Edo (atual Tóquio), sob a égide dos chefes de quadrilhas. Os Yakuza agrupam diversas categorias: primeiro foram os jogadores profissionais e os ambulantes. A esses uniram-se os samurais que, a partir de 1603, com o fim das guerras feudais e o reinado da "Paz Tokugawa" por 250 anos, viram-se sem mestres, ameaçados de banimento.

As várias gangues que compoem a Yakuza têm diferentes origens, e as versões dessas origens divulgadas pelas gangues podem ser bem diferentes do registro histórico. Em sua própria visão, a Yakuza descende de personagens honrados, que defendiam de bandidos itinerantes seus povoados - da mesma forma que Robin Hood. Algumas até declaram que a linhagem da Yakuza vai até os Ronin, guerreiros samurai que se encontravam sem mestres após um período de conturbação política no Japão do século XVII.

O nome "Yakuza" reflete essa situação de marginalização. Ele é proveniente de um jogo de cartas japonês chamado Oicho-Kabu. Esse jogo é similar ao bacará, em que o valor em pontos de uma mão é baseado no dígito final da pontuação de uma mão. Uma mão de oito, nove e três é igual a 20, que não vale ponto: a pior mão possível no jogo. As palavras japonesas para oito, nove e três (ya, ku e za) formam a palavra "Yakuza", significando sem valor ou sem sentido. Confira esta página sobre o oicho-kabu para saber mais sobre o jogo.

A palavra "Yakuza" originalmente se referia a uma pessoa que era um membro de uma gangue, mas hoje em dia se refere ao crime organizado japonês como um todo. Boryokudan, outra palavra para Yakuza, é considerada um insulto. Ela se refere a gângsteres degenerados e violentos sem nenhum senso de tradição ou honra. Essa é a maneira com a qual a polícia japonesa se refere à Yakuza.

Na hierarquia social Yakuza, abaixo dos samurais, dos artesãos e dos comerciantes vêm os hinin (não-humanos) e os eta (maculados). Os "hinin" são carcereiros, carrascos e pessoas ligadas à espetáculos. Os "eta" estão vinculadas à profissão de abate de animais (no xintoísmo e no budismo consiste mácula todo trabalho ligado à morte e ao sangue).

Os Yakuza criaram um estatuto e um código baseado nas relações de fidelidade entre o padrinho (oyabun) e seu protegido (kobun): a cerimônia de consagração consiste na troca do copo de saquê e representa a entrada no clã e os laços de sangue.

Família

Os clãs são organizados à semelhança de uma família, possuindo talvez a mais rígida das hierarquias do mundo dos crimes. O oyabun (pai) é o chefe, wakashu são seus filhos e kyodai são seus irmãos. Todos devem total obediência e lealdade ao oyabun, e em troca ele oferece proteção a todos de seu clã. Os membros não devem temer a morte pelo oyabun, e devem concordar com tudo o que ele diz. Há dois tipos de yakuza: aqueles que pertencem a um clã e os autônomos. Por não pertencerem a clã algum, os autônomos têm dificuldades para agir, pois os grupos não permitem que eles atuem em seus territórios. Os clãs costumam usá-los como bode espiatório ou pagá-los para realizar um serviço sujo no qual não queiram envolver o seu clã. Se o autônomo for ambicioso e capacitado, pode começar um grupo do zero, mas geralmente, quando não é assassinado, torna-se membro de algum clã já existente.

Principais famílias

Yamaguchi-gumi a Familia Untem

Criada em 1915 é a maior família da Yakuza, tem mais de 40 mil membros e é dividida em 750 clãs. Seu Oyabun (líder) é o Kenichi Shinoda.


Sumiyoshi-rengo as vezes chamado de Sumiyoshi-kai

É a segunda maior família da Yakuza, com mais de dez mil membros divididos em 177 clãs. Seu Oyabun atual é o Shigeo Nishiguchi , Osomuya Tanaka. É inimiga de morte da Yamaguchi-gumi.


Inagawa-kaï e famila Seiju

É a terceira maior família da Yakuza, tem mais de 7 mil membros e é dividida em 177 clãs. Seu Oyabun atual é o Kakuji Inagawa. Foi a primeira Yakuza a operar fora e dentro do Japão.


Towa Yuai Jigyo Kumiai as vezes chamada de Towa-ka

É a quarta maior família da Yakuza, tem mais de mil membros e é dividida em 6 clãs. Seu Oyabun atual é o Satoru Nomura. Foi a primeira Yakuza japonesa a ser criada na Coréia.


REGRAS:
Entre as obrigações dos membros estão:
Não esconder dinheiro da gangue;
Não se envolver pessoalmente com narcóticos;
Não procurar a lei ou a polícia;
Não violar a mulher de outro membro;
Não desobedecer às ordens de um superior;
Não deixar rastros após o crime.
Não matar ninguém da gangue sem a permissão de um superior.

Liderança

O chefe dos filhos chama-se wakagashira, e dos irmãos shateigashira. O wakagashira é o segundo em autoridade, vindo logo após o oyabun e servindo também como um intermediário para supervisionar se as ordens estão sendo cumpridas.
O shateigashira é o terceiro em autoridade. Cada filho pode formar sua própria gangue e assim por diante, resultando em diversas subfamílias. Cada um obedece o líder de sua gangue, mas é sempre o oyabun que dá a palavra final. Uma família típica tem de 20 a 200 membros, o que pode assegurar ao clã todo um número bem superior a 1000 homens.

As familias em que possuem membros yakuza são geralmente de raiz com nome Shibatsu, Yakasa, Shiatsuta, Tashiro, Tonaco, Shematse, Tokesho entre outras diversas com membros na cultura japonesa. Quando um indivíduo entra na sociedade dos yakuza, muitos clãs não permitem que ele saia do seu grupo, duvidando de que possa vazar alguma informação.




Alguns bares e comércios colocam placas em suas fachadas com um homem tatuado e um X no meio. Proibem pessoas com tatuagens visíveis de entrar no estabelecimento, pois os yakuzas tatuam todo o corpo.

Política e os Yakuza

Vários chefes da Yakuza usaram seus impérios criminosos para obter poder político. Na verdade, alguns poucos membros da Yakuza desempenharam papéis importantes na história do Japão. Yoshio Kodama fez fortuna durante a 2ª Guerra Mundial vendendo suprimentos de guerra. Ele comprou esse material da China, e a China o vendeu sob pressão.

­Inicialmente preso como criminoso de guerra, Kodama fez várias conexões no submundo antes da sua libertação por forças de ocupação americanas. Usando a sua própria rede de espionagem, um pequeno exército de seguidores leais da Yakuza e várias negociações escusas com a CIA, Kodama consolidou o seu poder político. Fervoroso nacionalista de direita, Kodama usou seu dinheiro e influência para moldar a política e os negócios japoneses de maneiras que talvez nunca sejam reveladas. Ele acabou sendo acusado de vários crimes financeiros, mas morreu de uma doença antes de ser julgado. Ryoichi Sasakawa foi contemporâneo de Kodama e teve uma carreira similar.

Kazuo Taoka foi outro chefe influente na Yakuza. Ele foi o líder do maior clã, o Yamaguchi-gumi. Ele desempenhou o seu poder desde o fim da 2ª Guerra Mundial até o início da década de 80, quando morreu de ataque cardíaco. Sua esposa, Fumiko Taoka, ocupou o vácuo do poder e manteve o clã por um período de vários meses. Fumiko Taoka não foi a única mulher a agir como oyabun, mas a única que o fez na maior e mais poderosa gangue Yakuza do Japão.

No Japão moderno não existe mais tanta tolerância às evidentes demonstrações de poder que a Yakuza antigamente exibia. Em 1992, o governo japonês aprovou uma lei bem similar à lei RICO, dos EUA. Essa lei inclui várias penas para crimes cometidos pela gangue e faz com que os líderes da gangue sejam responsabilizados por crimes de seus membros. No entanto, a lei não reduziu significativamente a quantidade de membros nessas gangues: analistas estimam que a quantidade de membros da Yakuza em todo o Japão ultrapasse 80 mil e que o clã Yamaguchi-gumi, agora com seis gerações, possua 20 mil membros em várias gangues afiliadas.

A lei também levou à reestruturação de alguns clãs, o que pode ter causado mais danos. A pressão da polícia fez com que algumas gangues se mudassem para novas áreas, provocando guerras sangrentas entre gangues. Os críticos também argumentam que a lei dificulta à polícia obter informações confiáveis dos informantes da Yakuza.

Quantias enormes de dinheiro continuam a entrar e sair dos cofres da Yakuza todo ano, com estimativas que ultrapassam mais de um trilhão e meio de ienes (mais de US$ 13 bilhões de dólares) apenas em 2004. Esse volume de dinheiro sempre gera influência, portanto há poucas dúvidas de que a Yakuza ainda exerce uma poderosa influência sobre os negócios e a política no Japão.

A Yakuza nas telas

A Yakuza é um assunto cinematográfico popular. No Japão, esses filmes são ainda mais populares do que os filmes sobre gângsters nos Estados Unidos. Na maioria dos filmes sobre a Yakuza, os seus membros são guerreiros honrados (apesar de violentos) que se apegam à tradição e que lutam para preservar aquilo em que acreditam. Esses membros mitológicos da Yakuza são descendentes diretos dos guerreiros samurai cinematográficos do passado japonês.

Em 2006, a Sega lançou um videogame chamado Yakuza. O jogo permite que o jogador assuma o papel de um jovem gângster da Yakuza, participando de lutas de rua e tiroteios.







Tatuagens da Yakuza

O aspecto mais visível da participação na Yakuza são as grandes tatuagens exibidas por membros dedicados do clã. Freqüentemente, essas tatuagens cobrem todo o torso. Elas tipicamente exibem símbolos do clã, imagens nacionalistas ou cenas da glória tradicional japonesa, como guerreiros samurai. A Yakuza usa essas tatuagens como símbolos da situação externa da Yazuka e seu compromisso vitalício em relação ao clã.


Yubizume

A punição tradicional por falhar dentro de um clã da Yakuza é a amputação de parte do dedo mindinho. Esse ato de contrição é conhecido como yubizume. Quando o gângster tiver desagradado o seu chefe, ele apenas recebe uma faca e uma tira de gaze. Ele então deve cortar a junta superior do seu quarto dedo e apresentá-la ao chefe. Esse é um enfraquecimento simbólico da capacidade da Yakuza de empunhar uma espada, tornando-o mais dependente do seu clã para apoio e proteção. Novas infrações podem resultar na perda de uma parte adicional do dedo, passando aos outros dedos se necessário.

Bom pessoal o pouco que consegui era isso espero que tenham gostado.
Espero também não ter desrespeitado nem nada nem ninguém.

Então Janaa... XD

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Otakus, Nerds, Gamers e Geeks online no momento...