quarta-feira, 19 de maio de 2010

Visual kei


Visual kei (em japonês: ヴィジュアル系 visual kei/bijuaru kei, "linhagem visual" ou "estilo visual"), ou visual j-rock, é um movimento musical que surgiu no Japão na década de 1980.

Consiste na mistura de diversas vertentes musicais como rock, metal e, muitas vezes, uso de instrumentos relacionados à música clássica, tais como violino, violoncelo e piano. Uma das peculiaridades desse movimento é a ênfase na aparência de seus artistas, muitas vezes extravagante, outras vezes mais leve, mas quase sempre misturada com a androginia, e shows chamativos. No visual kei a música anda sempre ao lado da imagem e vice-versa.

Algumas bandas consideradas pioneiras do visual kei são, X JAPAN, D’ERLANGER, NIGHTMARE , DEAD END, BUCK-TICK, Kamaitachi e COLOR. O movimento teve seu auge em meados da década de 1990, quando bandas como BUCK-TICK, X JAPAN, LUNA SEA, Kuroyume, MALICE MIZER, SHAZNA e outras conquistaram o público e o mercado japonês. Mais tarde, durante os anos 2000, bandas como Moi dix Mois, D'espairsRay, BLOOD, Kagerou, Kagrra,, Onmyo-Za, Nightmare e the GazettE iniciaram campanhas oficiais na Europa e em alguns países das Américas, lugares onde hoje em dia também já existe uma base sólida de fãs do movimento.

O visual kei sempre foi um movimento dinâmico e com o tempo foi ganhando variadas vertentes.Cada membro de uma banda Visual Kei expressa seus sentimentos ou fantasias compostas pela música através de cabelos pintados e penteados de forma extravagante, roupas, maquiagens, acessórios, encenações trágicas/dramáticas, recorrendo muitas vezes ao simbolismo para ter uma idéia do que eles queriam representar. Essa extravagância na maneira de se vestir também é uma representação do conceito ONI, comumente traduzido como demônio, sem que seja exatamente bem ou mau.

Algumas bandas criam histórias e os membros representam personagens (como a banda Psycho lê Cemú). Embora a orientação sexual dos músicos nãotenha influência nenhuma no Visual Kei, muitos pensam que são homossexuais devido ao estilo, uma vez que os ONIs são andrógenos.

No Brasil, existem vários fãs de visual kei que, além do visual rock, se interessam também por outras formas de rock japonês. Em 2006, o evento J's Fest II (Japan Song Fest II) atraiu 1.500 visitantes ao Circo Voador, no Rio de Janeiro, que prestigiaram, entre outras atrações, bandas nacionais inspiradas por artistas do visual kei e do j-rock. Diversos eventos de natureza semelhante ocorrem em diversas regiões do país freqüentemente.

O primeiro show de visual kei do Brasil foi anunciado com as bandas Charlotte e Hime Ichigo, em um evento chamado J-Rock Rio, previsto para acontecer no Rio de Janeiro no dia 5 de agosto de 2007. Porém, o festival foi cancelado por problemas de organização que incluíam o desconhecimento da existência do evento por parte da casa anunciada como local para os shows, o Scala Rio. Até mesmo as bandas que viriam para se apresentar não foram avisadas do cancelamento do J-Rock Rio. Algumas semanas depois, a Yamato Comunicações e Eventos anunciou uma parceiria com o site JaME Brasil (Jmusic America - Brasil) para produzir um show do Charlotte em São Paulo e outro no Rio de Janeiro, ambos em novembro de 2007. Segundo números divulgados na comunidade "J-Rock ~ Visual Kei", no Orkut, por David Denis (membro da equipe da Yamato), compareceram no show de São Paulo cerca de 1100 pessoas e, no show do Rio de Janeiro, cerca de 600 pessoas.

Em maio de 2008, Miyavi realizou seus primeiros shows no Brasil, como parte de sua turnê mundial "THIS IZ THE JAPANESE KABUKI ROCK TOUR 2008". Inicialmente ocorreria apenas uma apresentação no dia 24/05 em São Paulo. Com o esgotamento de todos os 1400 ingressos disponíveis apenas dois dias depois do início das vendas, um segundo show foi marcado no dia 23/05. O evento -- mais uma vez fruto de uma parceiria entre Yamato e JaME -- foi coberto por grandes veículos da mídia nacional como os canais de televisão Globo, Record e MTV Brasil e o jornal O Estado de São Paulo.

ANGURA KEI:

O termo vem de “undergroud kei”. São bandas com alta influência da própria cultura japonesa, principalmente tradicional (ás vezes arcaica), e que costumam adotar visuais mais simples, geralmente com uma roupa típica japonesa, seja um quimono ou um uniforme escolar, e uma maquiagem preta e branca. O objetivo das bandas Angura Kei é criar algo o mais japonês possível, com o mínimo de influência estrangeira. Tem sua origem no movimento cultural dos anos 60, o “Angura”.
Exemplo de banda “angura kei”, Onmyoza.

ELEGANT GOTHIC LOLITA / ELEGANT GOTHIC ARISTOCRAT:

Estilo descendente do gótico, no qual o visual e as músicas têm bastante elegância e “glamour”. No EGL, as roupas e maquiagem têm uma aparência infantil, enquanto no EGA os elementos infantis são deixados de lado. Geralmente aparatos de influência Vitoriana.
Exemplo de banda “EGL/EGA”, Malice Mizer.

EROGURO KEI:

A palavra “eroguro” é a contração adaptada para o japonês do inglês “erotic and grotesque” (erótico e grotesco). No EK a maquiagem é feita para deixar o músico com aparência mais feia, ás vezes mais agressiva, e as roupas podem ser tanto trajes comuns, como camiseta ou terno, quanto algo um pouco mais elaborado, mas com discrição bem maior do que nos estilos Elegant Gothic e Kotekote, por exemplo. O estilo é originado do movimento cultural “Eroguro Nonsense”, surgido no Japão no início do século XX.
Exemplo de banda “eroguro kei”, MUCC.

KOTEKOTE KEI:

O estilo mais tradicional do Visual Kei. Bem andrógino, obscuro e, geralmente, com um som bem peculiar.
Exemplo de banda “kotekote kei”, Dué le quartz.

OSHARE KEI:

Estilo de bandas com visual mais colorido, de aspecto infantil. O som também pode ser mais leve e “feliz”, mas não necessariamente, pois algumas bandas do estilo também criam músicas mais pesadas.
Exemplo de banda “oshare kei”, Antique Cafe (Ancafe).


Waka, a vocalista da banda Visual Kei, Danger Gang

Visual Kei antes de mais é um estilo de música japonesa. A música e a moda andam interligadas. Se ultimamente anda ouvindo Visual Kei e quer ficar com um estilo similar ao dos membros da banda, esta parte é para você.

Passos para conseguir ter Visual Kei:

1. Observe bem o Visual Kei - olhando para membros de bandas Visual Key (AVISO: Tokio Hotel e Cinema Bizarre NÃO são Visual Key), revistas japonesas, etc. Algumas boas revistas para comprar são Shoxx, Cure, Kera e Bíblia Gothic & Lolita. Pode encontra-las em livrarias ou Bancas que vendam revistas internacionais ou então em lojas de Mangá.

2. Usa eyeliner – é um elemento muito importante no Visual Kei mas não é obrigatório. Eyeliner normalmente é aplicado na pálpebra de cima e se desejar na pálpebra de baixo.

3. Corte a sua franja longa - (por baixo da sobrancelha) e tenta cortá-la com um direito não natural. Podes ainda cortá-la de uma forma estranha ou com um bico no meio. Pintar o cabelo de cores diferentes é aconselhável. Waka da banda Danger Gang é uma boa referência porque tem um estilo variado. Mana-sama é o Deus do Visual Kei, pode tirar ideias para o teu look. Várias roupas dele podem ser compradas do site : http://www.cdjapan.co.jp/jpop/essentials/mmm/ . Comprar roupa no mercado livre também é uma boa opção.

4. Vestir roupa apropriada - O típico estilo “goth” americano não vai servir se está mesmo certo disto. Tente misturar punk e goth numa só. Visual Kei é um estilo “abarrotado” e “cheio”, por isso todos os sensos de moda estão incorporados. Visual Kei tem uma abundância de cor. Por isso usa cores! Não se limite ao preto básico. Alguns padrões populares para o Visual Kei são padrões animais (leopardo, zebra, …) e flores.






5. Existem muitos sub-estilos derivados do Visual Kei -
Gothic Lolita, Gothic Aristocrata, Punk/Rock híbrido, etc. Experimente todos estes estilos e descobra qual combina mais com você. Ou pode ter um estilo variado, incorporando estes sub-estilos no seu estilo diário.

Lembre-se que não tem de gastar todo o seu dinheiro para importar roupas do Japão. Existe montes de coisas que podes encontrar por aí que ficam ótimas com Visual Kei. Lojas com roupas em segunda mão são excelentes para encontrar uma variedade de roupa para misturar e combinar.

Sugestões: - Mantêm o seu próprio estilo, não se limite a copiar o estilo de um membro deuma banda porque isso iria transformar-se num cosplayer. Não há mal nenhum em fazer Cosplay mas não é essa a sua intenção.
Deves ouvir bandas Visual Kei como: Malice Mizer, Lareine, Alice Nine, The GazettE, Nightmare, Vidoll, Phantasmagoria, Moi dix Mois, X Japan, Due le Quartz, Hizaki Grace Project, Versailles, Danger Gang, Antic Café, Dir en Grey, etc.
Avisos:

Visual Kei tem muitos estilos diferentes incorporados – tais como Angura Style, Decora Style, Gothic Lolita Style, etc. Pesquise na Internet ou escreve “VISUAL KEY” no Wikipédia. Vai encontrar mais informação que te ajude; · Certifique-se que o que está a vestindo não viola nenhuma lei de vestuário da sua escola. É aconselhável que criticismo negativo não ti afete pois muitas pessoas não iram ver o Visual Kei como um estilo aceitável, apenas ignore comentários rudes que poderá receber.


Mana-sama, o Deus do Visual Kei.


Coisas que ira precisar: · Dinheiro (o suficiente para comprar algumas revistas e os itens básicos de roupa); · Revistas ou informação retirada da Internet para conhecer melhor o estilo; · Itens básicos de roupa para criar uma base de vestuário · Individualidade; · Criatividade e
Originalidade.
Antic Café, banda Oshare Kei (um sub-género do Visual Kei)

Bom depois dessa aula de moda sobre visual kei espero que tenham gostadu das dicas e ficam as dicas de bandas de J'rock mais ouvidas também né para quem quiser baixar também temos elas na sessão download confiram ;]


Um comentário:

  1. Amei amei muito, amo visual kei ,me inpiro em mana sama meu idolo, mais apesar de ser bem diferente tbm amo an cafe, e tiro um pouco de cada para formar meu proprio estilo,parabens vc me ajudou muito

    ResponderExcluir

Otakus, Nerds, Gamers e Geeks online no momento...