segunda-feira, 10 de maio de 2010

JASPION ONDE ESTARÁ ELE AGORA?

Título Original : Kyoju Tokusou Jaspion.
Título Traduzido : Caçador de Monstros Gigantes Jaspion.
Título no Brasil : O Fantástico Jaspion.
Ano de Produção : 1985.
A inesquecível década de 1980 trouxe uma revolução no gênero tokusatus. A linha conhecida como Metal Heroes, no Japão, apresentou aos fãs do gênero O Policial do Espaço Gaban, Sharivan e Shaider. Séries que fizeram um grande sucesso na terra do sol nascente e que fez a Toey Company pensar em como dar continuidade ao sucesso da linhagem. Sem esquecer a marca do pioneiro Gaban, a produtora criou Kyoju Tokusou Juspion, mais conhecido no Brasil como O Fantástico Jaspion e que teve pontos no IBOPE maiores aqui do que lá no Japão. Seu intérprete, o ator Hikaru Kurosaki, dono de um estranho cabelo black-power, fez um grande sucesso.

Hikaru Kurosaki (Jaspion) e Kyomi Yakada (Anri).


A HISTÓRIA

Viajando pelo universo numa nave, o casal de pesquisadores espaciais Kéli e Ana, traziam consigo seu filho recém-nascido de nome Jaspion. Devido a um terrível acidente, a espaçonave cai num planeta, matando o casal que deixa seu pequeno filho órfão. Felizmente o planeta era a morada de um velho e poderoso sábio chamado Edin, que recolhe o pequeno sobrevivente e o adota criando-o com muito amor e dedicação. O velho Edin era um sobrevivente de uma raça de sábios que havia sido dizimada, pois seu planeta natal havia se chocado com um cometa. Alguns anos mais tarde, Edin toma conhecimento que vários planetas da Via Láctea estavam sendo devastados e que suas civilizações eram destruídas impiedosamente. O responsável por isto era o lendário demônio SATAN GOS, um ser gigante que vestia uma espécie de armadura negra. Na verdade, SATAN GOS além de ser o resultado da união das energias negativas do universo, estava também num processo de mutação que o transformaria num terrível monstro de poderes assustadores. Além de ser profeta, Edin possuía conhecimentos elevados em ciências e tecnologia, o que possibilitou o desenvolvimento de um projeto para deter a ameaça de SATAN GOS na via láctea. Baseando-se em trechos da bibilia galáctica, um livro de profecias do universo que já previa o surgimento do demônio, Edin treina seu valente aprendiz Jaspion, que recebe todos os conhecimentos necessários para defender a paz em todos os planetas da via láctea. Chegando ao Planeta Terra, Jaspion tem a grande missão de destruir as forças negativas de Satan Goss. Este tem por missão construir o reino dos monstros na Terra, acabando com toda a civilização humana. Para isso, Satan Goss traz diversos aliados do universo para derrubar o seu maior obstáculo: Jaspion e o seu companheiro, o Gigante Guerreiro Daileon.
Sucessivas derrotas acontecem. Até que MacGaren, o filho de Satan Goss decide enfrentar o seu maior inimigo e acaba sendo destruído pelo golpe cosmic laser de Jaspion. Na foto ao lado: MacGaren.
Entra em ação a bruxa galática Kilza, interpretada pela grande atriz Junko Takahata, que mais tarde, em 1988, intepretaria a vilã Marie Baron em Kamen Rider Black RX.
Kilmaza, irmã de Kilza foi outra revelação na série. Interpretada pela atriz Yukie Kagawa, a nova bruxa aparece na trama para vingar-se da morte da irmã, que receberá o golpe cosmic laser de Jaspion. Kilmaza trouxe consigo toda a experiência que teve em outros planetas e prometera a Satan Goss destruir Jaspion. A personagem apareceu até o último capítulo quando fora destruída no momento da morte do temível Satan Goss. Este havia assumido sua verdadeira forma: um temível monstro.




Satan Goss e o Gigante Guerreiro Daileon travando uma batalha.


Kilza (Junko Takahata) iniciando a famosa magia: berebekancatabanda...


Kilmaza (Yukie Kagawa), irmã de Kilza.


A série contou ainda com a participação do ator e cantor Isao Sasaki (Professor Nambara), do Junichi Haruta (Mac Garen), do Noburo Nakatami (Edin) e do Hiroshi Watari (Boomerman). Este último intérprete do Sharivan (1983) e mais tarde, depois da participação em Jaspion, intérprete do Spielvan (1986).

Bomerman (Hiroshi Watari)
Mac Garen (Junichi Haruta)

A série foi criada por Saburo Yatsude com roteiros de Shozo Uehara e produzida em 1985 pela Toey Company, tendo 46 episódios para a televisão mais um especial com os melhores momentos da trama, ainda inédito no Brasil. Os dublês eram do Japan Action Club. No Brasil
Foi Jaspion, ao lado do Esquadrão Relâmpago Changeman, quem abriu as portas para os tokusatus no Brasil em 1988. Foi uma febre! Exibido pela TV Manchete e importado do Japão pela Everest Vídeo, Jaspion foi líder de audiência durante muito tempo, chegando a várias reprises.
Venda de brinquedos da série e LP´s (os antigos discos de vinil) tiveram vendas esgotadas nas principais lojas do ramo no país.
Curiosidades

*O ator Hikaru Kurosaki reassumiu o nome verdadeiro, Seiki. Após divergências sobre condições de segurança no trabalho de dublê, deixou o ramo e hoje trabalha como instrutor e guia de mergulho submarino nas proximidades de Okinawa junto de sua esposa.

Hikaru Kurosaki (Jaspion) atualmente instrutor de mergulho.

*Kurosaki também participou do seriado Bioman no gênero Tokusatsu. Em Jaspion, ele conta que queria fazer um herói diferente, segundo a proposta dos produtores de um "Tarzã espacial". Por isso, lhes teria sugerido o penteado "afro" com que aparecera nos primeiros episódios. Contudo, a Toei não gostou do resultado na tela, e ordenou o corte de cabelo, que ocorreu no começo do episódio 11.
*O ator que interpretou Boomerman (Hiroshi Watari) virou protagonista na serie que sucedeu Jaspion, Guerreiro Dimensional Spielvan.

*Hiroshi Watari apareceu como personagem misterioso na série num momento em que o protagonista, Hikaru Kurosaki estava com um musical no teatro e tinha pouco tempo livre para gravar.
*Por conta de um acidente de moto, Hiroshi Watari teve sua participação na série prejudicada, já que teve de fazer uma cirurgia para retirar os 7 pinos da perna. Depois disso só participou de mais 2 episódios.
*No Brasil, Jaspion virou revista em quadrinhos pela Ebal e mais tarde pela Editora Abril em 1991. Estas histórias eram levemente baseadas na série e se podia ver crossovers com outras séries exibidas também pela Rede Manchete.
*A empresa Everest e a TV Manchete, numa campanha de "marketing", divulgaram o seriado "Spielvan" como "Jaspion 2" nos anúncios e legendas de identificação da emissora. A equipe de tradução omitiu até o nome do herói nas músicas de abertura e encerramento, coisa que nunca acontece em um seriado "tokusatsu" (ainda que o tenha mantido como "Spielvan" nos próprios episódios), para que os fãs de Jaspion acreditassem que se tratava de uma continuação. As histórias das duas séries não tinham nenhuma relação. Jogada de marketing parecida foi feita na França aonde os seriados Super-Sentai Maskman e Liveman foram chamados de Bioman 2 e Bioman 3, respectivamente.

*As fitas do seriado Jaspion foram lançadas antes da serie estrear na Rede Manchete pela Everest. Anos depois, as fitas foram relançadas com o selo InterMovies.
*Jaspion foi dublada na Álamo, que anos depois dublaria diversos animes como Dragon Ball. O personagem-título foi dublado por Carlos Takeshi, que também dublou Change Griffon em Changeman, algumas pontas no anime Comando Dolbuck, no tokusatsu Winspector e Tremi de Sagitário em Cavaleiros do Zodíaco (versão Gota Mágica). Atualmente, Takeshi é apresentador do programa InfoShop no canal Shoptime.
*Nos primeiros episódios da série, Kanoko foi chamada de Kayoko e o Professor Nambara de Professor Nan. Porém logo isso foi corrigido.
*A atriz que interpretou Anri (Kiyomi Tsukada) interpretou a fotógrafa Gunko em Machineman e fez uma aparição em Shaider, (personagem Vivian), e hoje mora nos Estados Unidos.

*Além do Brasil, Jaspion também foi exibido em países da Ásia e na França, no canal TF1 a partir de 1988, no Club Dorothee, aonde outras séries tokusatsu tais como Maskman e Bioman foram exibidas. Por lá, Jaspion não teve tanto destaque quando o trio Gavan (X-Or, "X-Ouro", na França), Sharivan e Shaider.
*Diferente de Changeman, filmada quase ao mesmo tempo e bem-sucedida tanto no Brasil quanto no Japão, Jaspion não fez um grande sucesso no seu país de origem. Com 46 episódios filmados e um episódio especial, não chegou a ser um fracasso, mas foi uma decepção para a Toei Co. pela expectativa nele depositada: além de atores famosos do gênero "tokusatsu", o elenco incluía o conhecido cantor Isao Sasaki. Mesmo assim, não foi o grande "hit" esperado.
*A aposta em Jaspion foi tão grande que a própria Toei ordenou que os temas de abertura e encerramento tivessem versões em inglês, interpretadas pelo cantor Henry. Era uma das primeiras tentativas da produtora japonesa a penetrar no mercado ocidental(sobretudo, o norte-americano).
*Do elenco brasileiro de dublagem já faleceram Líbero Miguel (Satan Goss e Ikki), Carlos Laranjeira (Boomerman e Hiroshi), Marcos Lander (algumas pontas), Renato Master (Senhor Akiyama), Mário Vilela (algumas pontas), Eleu Salvador (senhor Yada no episódio 23 e Kassami Nº2 no episódio 25), Borges de Barros(Edin; falecimento mais recente) e ainda Ricardo Medrado (MacGaren a partir do episódio 17), falecido em 2002, boatos dão conta que após alguns problemas familiares e envolvimento com drogas, tenha levado ao seu afastamento da dublagem em meados da década de 1990.

*Por conta de uma viagem aos EUA, Denise Simonetto foi substituída por Cecília Lemes no papel de Anri no episódio 17 da série.
*No dia 1º de abril de 2006 veio a falecer Ai Takano, o cantor das músicas de abertura e encerramento da série, devido a falência múltipla de seus órgãos ocasionadas por complicações cardíacas. No mesmo ano, só que no dia 16 de novembro, também veio a falecer Noboro Nakatani, o ator que interpretou Edin, morto devido a problemas relacionados com o fumo.
*O tema de abertura de Metalder, Kimi no Seishun wa (Deixe brilhar sua juventude), foi interpretado por Isao Sasaki (o qual também fez as vozes de Silvester Stallone e Christopher Reeve no Japão), que interpretou o Professor Nambara em Jaspion. Sasaki cantou também o tema do anime "Uchuu Senkan Yamato", conhecido no Brasil como Patrulha Estelar.
*O nome dos ninjas espaciais da bruxa Kilmasa representam os elementos segundo uma das concepções taoístas: Ka=fogo, Sui=água, Moku=madeira, Do=terra e Fu=vento ou ar (fonte: páginas 700km, de Ricardo Bittencourt, e Yagyu Shinkage-Ryu, de Sylvain Guintard). Note que esta classificação não é estática -- muitos ramos desta filosofia apresentam, no lugar do vento, o Kin (metal), enquanto outros englobam os seis elementos aqui mostrados.
*O posto de gasolina que aparece no episódio 27, cuidado por um dos protagonistas (Shingo), é um posto Esso.

*Jaspion canta no início do episódio 8 uma música de seu próprio repertório.
*Correu um boato já há muito tempo que o dublê de Jaspion seria brasileiro. Essa confusão se deu através do programa do Jô Soares, que entrevistou Tadashi Kamitani, o dublê do Jaspion no show circense brasileiro.

*Falando em Circo Show, houve uma fã brasileira que fugiu com o mesmo. Atualmente ela é web master de uma das mais antigas pages ja feitas no Brasil sobre tokusatsu, conhecida como Tokyo Space, nome esse que era o mesmo do circo show.

Bastidores das gravações de Jaspion em 1985.

Cena do making-off de Jaspion.

Bíblia Galáctica, que revelou parte do mistério sobre o Pássaro Dourado.


O Pássaro Dourado.

Gurima e Guriu.

Jaspion, gravando com a Família Nambara.

MacGaren, Gurima e Guriu.

Edin (Noburo Nakatami ), o sábio da trama.

Curtam essa entrevista realizada com exclusividade pelo site Herói a algum tempo, com o ator que interpretou o alter ego do maior herói de nossas infâncias, Jaspion! Saibam que rumo tomou sua carreira após a série, o que ele faz hoje em dia e descubra segredos divertidos sobre os bastidores da serie!
Boa leitura!

Herói - Você entrou muito jovem para o Japan Action Club (mais famoso grupo de dublês do Japão). O que seus pais disseram sobre isso?
Kurosaki - A princípio meus pais foram totalmente contra. Mas acabaram aceitando e permitiram que eu entrasse.

Herói - O quê o motivou a entrar no JAC e a ser dublê?
Kurosaki - Foi após ver a atuação de Sonny Chiba (ou Shinichi Chiba, um dos mais respeitados dublês japoneses e fundador do JAC). Fiquei impressionado e quis me tornar um dublê também. Sem dizer que eu já era um grande fã da bela Etsuko Shiomi, que fazia muitos filmes de ação.

Herói
- Você já praticava ou treinava para isso?

Kurosaki - Não, de forma alguma. A única coisa que eu costumava praticar era tênis e mergulho submarino, que é minha verdadeira paixão.

Herói
- Quando foi sua estréia?

Kurosaki - Como ator foi na primeira série de Tropa das Sombras (Kage no Gundan I, da Toei). Nessa época atuei sob meu nome verdadeiro, Seiki Kurosaki.

Herói
- Na década de 80, Jaspion abriu as portas no Brasil para diversas séries japonesas e se tornou um grande sucesso. Você sabia disso?

Kurosaki - Bem, já ouvi algo sobre isso através de Kazuyoshi Miura, que é um jogador profissional de futebol. Mas isso foi há uns nove anos. Fiquei muito contente com isso, mas confesso que não acreditei muito, até você me confirmar agora.

Herói
- Você tem contato com outros atores da série, como Junichi Haruta (Mac Garen) e Hiroshi Watari (Boomerman)?

Kurosaki - Pra falar a verdade, não. Eu já não os encontro há muito tempo. Mesmo porque me afastei desse meio (TV e teatro).

Herói
- Como você foi escolhido para atuar em Jaspion? Algum teste? Esperava por isso?

Kurosaki - Shiomi e eu havíamos atuado juntos no teatro, os produtores da série estiveram lá, gostaram de minha atuação e me chamaram em seguida.

Herói
- Quais as dificuldades na filmagem de Jaspion?

Kurosaki - Foi difícil, mas muito prazeroso fazer Jaspion durante um ano. Começávamos cedo e terminávamos somente à noite. Líamos o texto para o dia seguinte à noite, ou alguns minutos antes de entrar em cena.

Herói
- Como foi o assédio dos fãs? A série fez muito sucesso?

Kurosaki - A popularidade no Japão foi comum, nada de extraordinário.

Herói
- Nos primeiros episódios, seu cabelo era bem engraçado. Aquele era seu cabelo de verdade? Por que ele foi cortado?

Kurosaki - Sim, era meu cabelo mesmo. Eu queria quebrar a velha imagem do programa de herói para crianças. Tinha a intenção de simbolizar a imagem do Tarzã Galáctico, a princípio. O impacto foi muito bom entre os fãs, mas os produtores decidiram cortá-lo.

Herói -
Você interpretou o Jaspion nos momentos em que ele usava a armadura?

Kurosaki - Não, não tinha tempo para fazer isso e o traje nem servia em mim. Ele tinha um tamanho diferente. Três grandes dublês do JAC fizeram o Jaspion por mim: o Takanori Shibahara, Kazuyoshi Yamada e Noriaki Kaneda.

Herói -
De que material era feita a armadura de Jaspion?

Kurosaki - Não sei lhe dizer em detalhes. Metal, plástico, couro, etc. Eram maravilhosamente feitos combinando os materiais por uma companhia chamada Rainbow. Existiam três tipos de armaduras para Jaspion. Era usado adequadamente de acordo com a tomada e a fotografia de cena. Por exemplo, para os closes era usada uma mais reluzente, para cenas de ação uma de material mais flexível etc.

Herói -
No Brasil, vimos você apenas em Bioman e Jaspion. Você trabalhou em outros seriados de heróis?

Kurosaki - Quando ainda era um dublê, apareci no seriado Homem-Aranha (versão japonesa) como um monstro e também em Denjiman e Sun Vulcan (seriados estilo sentai de 80 e 81 respectivamente). Depois fiz uma participação especial em Bioman, onde encontrei minha esposa, Asuka Yuko, que interpretava a vilã Fara.
Como eu ficava bastante tempo em Quioto, acabei participando mais de filmes de samurai, yakuza, enfim, produções mais elaboradas para o público adulto.

Herói - Porque você deixou o JAC?
Kurosaki - Tinha pensamentos diferentes dos do Sr. Shinichi Chiba sobre o trabalho de dublê e o futuro do JAC. No final dos anos 80, não só o JAC mas também o cinema de ação passou por dificuldades financeiras e perderam muito em popularidade. Chiba pediu-me então que fosse fazer espetáculos num parque de diversões perdido no meio das montanhas de Ninjamura. Recusei porque um de meus amigos, Masato Akata, havia se ferido seriamente porque não havia condições adequadas se segurança. Como era empregado e, como acontece em qualquer empresa, me demitiram por isso.
(nota: Masato Akata era o dublê que usava o traje de Black Mask, Yellow Lion e Black Turbo. Informações não confirmadas dão conta que ele teria ficado paralitico, mas Kurosaki não comentou com maiores detalhes.)

Herói -
O quê você fez depois disso?

Kurosaki - Me desliguei completamente do mundo artístico. Trabalhei por um ano vendendo motocicletas e com minhas economias comprei uma pequena "lanchonete" onde vendia takayoki (porções recheadas de polvo) no parque de Ueno. Mas não tinha licença de venda e meu dinheiro era extorquido diariamente ou pelos Yakuzas e a máfia local, ou pelos próprios policiais.
Fui levando até que cansei disso, mas tocar um negócio era algo que havia me agradado. O contato humano e coisas assim. Foi quando abri um bar noturno chamado Corvo, no sul de Tóquio. Infelizmente passei por dificuldades quando, em 1995, o Japão enfrentou uma crise financeira.

Herói - Você trabalha atualmente como mergulhador submarino, é isso mesmo?
Kurosaki - Sim. Vivo como instrutor e guia de mergulho submarino, juntamente com minha esposa. É o que gosto e o que sempre quis fazer.
Junichi Haruta era o grande vilão em Jaspion. É verdade que ele não usava dublês nem para as cenas com traje?
Sim, é verdade. Ele é mesmo um grande homem, bem corajoso!

Herói -
Quanto tempo demorava a filmagem de cada episódio?

Kurosaki - Cerca de cinco dias de gravação.

Herói -
Em que você trabalhou após Jaspion?

Kurosaki - Atuei em um filme chamado Setouchi Shonen Yakyudan, Saigo no Rakuen (traduzindo: Pequena Liga de Beisebol de Setouchi, Último Paraíso).

Herói -
O gênero dos Metal Heroes acabou. O que você acha destas séries e das atuais? Hoje os programas são muito simples se comparados aos das séries dos anos 80, não são?

Kurosaki - Sim. A tecnologia progrediu muito. Tais séries davam força. Mas as histórias não mudaram, infelizmente.

Herói -
Você se machucou nas filmagens de Jaspion?

Kurosaki - Sim, os piores foram um ferimento na cabeça e um machucado no ombro, entre outros.

Herói -
Como era seu relacionamento com os demais atores?

Kurosaki - Eu tinha boas relações com todo mundo, mas especialmente com Hiroyuki Sanada, Tsuyoshi Ihara e a jovem geração de dublês do meu
tempo.
Herói - Aconteciam coisas engraçadas durante as filmagens de Jaspion?
Kurosaki - Todo dia. filmar era muito prazeroso porque todos tinham um grande senso de humor e ríamos o tempo todo.


Herói -
O quê a atriz Kiyomi Tsukada (Anri) faz atualmente?

Kurosaki - Ouvi dizer que foi morar nos Estados Unidos.

Herói -
Você tem filhos?

Kurosaki - Infelizmente não.

Herói -
Você voltaria ao mundo artístico para fazer séries ou filmes de ação?

Kurosaki - Não. Encontrei um novo modo de viver que adoro.

Herói - Em um episódio em Jaspion você canta uma música acompanhado de Watari (Boomerman) na bateria. Que música era aquela?
Kurosaki - Aquela era uma música original minha.

Herói -
Como você se sentiu no último episódio de Jaspion, ficou triste com o fim da série?

Kurosaki - Sem dúvida. Após a transmissão de Jaspion na televisão me senti bastante triste e sozinho.

Herói -
O especial de cinema de Jaspion não foi apresentado no Brasil. Qual a história deste filme?

Kurosaki - É uma compilação especial das melhores cenas da série, e era acompanhada de uma entrevista com Kiyomi, Jun`ichi e eu.

Herói -
Você conhece algo sobre o Brasil?

Kurosaki - Não conheço muito sobre o Brasil, desculpe. Mas é claro, espero poder ir aí algum dia.

Herói -
Você já recebeu antes mensagens de fãs de fora do Japão?

Kurosaki - Sim. Tenho muitos fãs também na França e Ásia.

Herói -
E qual a sua mensagem aos fãs brasileiros?

Kurosaki - Obrigado pelo apoio a mim e ao Jaspion. Agora estou com 39 anos, vivendo em Okinawa, Japão. Sinto muito prazer em estar junto de
meus amigos e de ir ao fundo do mar todos os dias. Se algum dia você tiver a oportunidade de vir para Okinawa, por favor, avise-me. Quando eu for ao Brasil, por favor, deixe-me provar todas as deliciosas comidas brasileiras.


Herói - Quais são seus planos para o futuro?
Kurosaki - Desejo poder realizar o sonho de algumas pessoas quando estamos no fundo do mar, nadando. Lembre-se: viva sempre para fazer seus sonhos tornarem-se reais.

3 comentários:

  1. caraco o cara nem tem noção do que ele representou para a infancia de milhares de brasileiros!!!!!! jaspion sempre sera lembrado por nossa geração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uma das melhores coisas da minha infãncia e com certeza na de muitos outros....e até hoje é lembrado....
      o fantástico jaspion

      Excluir
  2. ainda bem que a ulbra tv está exibindo novamente o fantástico jaspion

    ResponderExcluir

Otakus, Nerds, Gamers e Geeks online no momento...